Uma estratégia intrigante para alcançarmos ainda mais vidas!

Quando viajei de avião pela primeira vez, não me lembro exatamente se senti medo, pânico ou ansiedade excessiva. Também não me lembro o nome da companhia aérea, pra onde estava indo, nem o ano em que essa experiência se passou.rsss (#dora #continueanadar)

De todos os modos, consegui salvar uma lembrança bem vívida de quando os atendentes de bordo enunciam (e meio que interpretam!!) aquelas instruções de segurança! Primeiro me lembro que conversei durante as explicações, e aí uma aeromoça olhou pra mim com cara feia e fez um sinal de “cala a boca, por favor”. rssss

E depois me lembro de um trecho das instruções que dizia algo mais ou menos assim:

Em caso de despressurização máscaras individuais de oxigênio cairão automaticamente. Puxe uma delas, coloque sobre o nariz e a boca e respire normalmente. Auxilie crianças ou pessoas com dificuldade somente após ter fixado a sua máscara.

Este trecho me marcou tanto com sua lógica e simplicidade, que até hoje quando viajo de avião acabo ouvindo as instruções de segurança de um jeito diferente e especial…

oxygen-mask

Já até li alguns outros textos e meditações que também foram escritos a partir desta mesma “metáfora” das máscaras de oxigênio, e achei bastante curiosa a maneira como a maioria deles toma esta instrução como um ato insolente de egoísmo(Ainda que no desenrolar dos argumentos, todos eles eventualmente concordem que é a coisa mais certa a se fazer.)

No meu caso em particular, esta instrução confrontou minha ignorância tão fortemente, que nem tive muito prazo pra fazer julgamentos e classificá-la como egoísta ou não, ou como qualquer outra coisa. Digo ignorância, porque pela falta de conhecimento, fiz festa com um enunciado óbvio que já deve vir de muitos anos da prática de aviação e que não é nenhuma novidade no mundo.

É possível sim que muitas pessoas construam discursos e posturas egoístas a partir desta metáfora, dizendo – “com licença, primeiro eu!” – com base na lógica pura e simples que o enunciado de segurança oferece. Podem inclusive tomar essa verdade como estilo de vida, propagando aos quatro cantos do mundo que se cansaram de fazer pelos outros, e que agora querem mais é cuidar de si próprios e serem felizes. 

Podem tudo isso e mais um pouco, enquanto seguem se esquecendo que a lógica do enunciado é mais do que uma desculpa para viverem uma vida centrada em si próprios. O enunciado é lógico não só por que nos ensina a sobrevivência, mas também porque nos ensina a maneira certa de ajudarmos os outros.

oxygen_mask_

Egoísmo é quando fazemos por nós em primeiro lugar em detrimento dos outros. E o enunciado não nos ensina esta postura. Ele não diz: “coloque sua própria máscara e se esqueça do resto”. Ele diz: Coloque a sua primeiro, pra que assim você possa ajudar quem estiver do seu lado.

Faça por você, mas faça pelo outro também!! Garanta a sua vida, porque ela certamente será a garantia de vida de muitas outras pessoas!

Me entendam bem: não estou repetindo aqui aquele mesmo sermão do “se você não gostar de si mesmo, quem vai gostar? etc, etc, etc, etc”. Estou falando de uma estratégia lógica para alcançar e impactar um número maior de vidas!

Um pai que se mata de trabalhar, se alimenta mal, não se exercita, não vai ao médico e não tem um sono de qualidade, FATALMENTE exibe menos energia, menos atenção e e menos capacidade de influenciar e impactar a vida de sua família.

Mas se ele tira uma hora de seu dia para dedicar a si mesmo e fornecer ao seu corpo/mente/espírito o cuidado necessário, ele FATALMENTE terá mais energia, mais atenção e ainda mais capacidade de influenciar não só a vida de sua família, mas a vida de todo mundo que o cerca. É estratégia para alcançar mais vidas, e não um ato de egoísmo! 

Isso vale para as mães, para os filhos, para os empresários, para os professores, para os pastores, para as esposas… pra todo mundo que deseje ser luz e bênção na vida dos outros…

As famílias, empresas, escolas e igrejas não precisam de heróis, nem de gente que faz mágica! Precisam de pessoas com saúde e energia pra trabalharem no plano de Deus, cada um segundo seu chamado e competência! Se a gente se dispuser a fazer a parte que nos compete, Deus certamente nos dará o ânimo e refrigério que eventualmente venham a faltar… Ele é fiel.

will-your-work-stand-the-scrutiny-of-jesus-christ-e1333069738721

Pense no “tanto mais” que você poderia fazer por todo mundo, e no “tanto mais” que você poderia dar aos outros, e no “tanto mais” que você poderia servir ao próximo, se adotasse esta estratégia!

A motivação por trás do “dar a si mesmo primeiro” não é fazer mais para si do que para os outros! É dar para si JUSTAMENTE E EXCLUSIVAMENTE pensando em poder dar AINDA MAIS para os outros!

Sei que esta estratégia gera um pouco de insegurança e apreensão, principalmente naquelas pessoas que já há muitos anos vivem sem tempo para si mesmas. Mas até Jesus, com toda sua agenda apertada, tinha seus momentos de se retirar e orar em particular… de se nutrir primeiro pra que pudesse ser alimento para os outros.

Devemos aprender com Seu exemplo e fazer o mesmo!

Vamos aproveitar o final de semana para aplicarmos um pouco desta estratégia! E obrigada por terem me lido até aqui!

Bjkas e até breve! =**

Anúncios

Relacionamentos amorosos tem importância?

holding-hands1-1

Dos pedidos e sugestões que sempre recebo para tratar em post ou em vídeo aqui no blog, o assunto “relacionamentos” é com certeza o mais recorrente. E curioso. E simpático.

Parece que este aspecto da vida (da mulher principalmente), exerce uma importância tão grande e taxativa sobre sua capacidade particular de ser e se sentir feliz, que os outros aspectos passam a inevitavelmente se posicionarem de maneira bastante secundária e com valor reduzido. O que inclusive não é exatamente errado ou ruim, já que os relacionamentos devem sim ocupar as primeiras e mais honrosas posições no ranking de nossas prioridades.

Talvez o desajuste nesta organização de prioridades esteja não em dar a devida importância aos relacionamentos (porque isso é legítimo e todo mundo concorda), mas sim em não saber e não tratar daquilo que realmente seja importante nos relacionamentos.  Ou seja, dar importância aos relacionamentos não é tudo, não basta.

Para exemplificar, me vem à memória um filme que assisti este final de semana baseado em fatos reais, (The Iceman – 2012), que conta a história de Richard Kuklinski, um homem que durante anos mente para a esposa e filhas dizendo que trabalhava no mercado financeiro, até o dia em que finalmente é preso, em 1986, e todos descobrem sua verdadeira  atividade profissional: assassino de aluguel.

O filme retrata um homem extremamente frio e indiferente às vítimas de quem lhes tirava a vida. Inclusive, há relatos de que vários de seus assassinatos foram praticados com requintes de crueldade física e psicológica.

Entretanto, e muito curiosamente, este mesmo homem gélido e truculento se mostra ser um verdadeiro adorador e devoto de sua família, em especial de sua esposa Debora. As cenas exibem um marido carinhoso, que cobre a esposa e as filhas de presentes caros e que não tolera qualquer maldade ou intenção de ofensa contra elas.

A importância que ele atribuía à sua família era gigante, e ninguém vai dizer o contrário. Contudo, ele não soube, ou simplesmente sabia mas negligenciou, aquilo que tinha importância  na relação com sua família: o respeito, a lealdade, a honra e a verdade. Por consequência disso, uma esposa ficou sem marido, ultrajada e humilhada pela ocasião de sua prisão em 1986, e, o mais triste, duas filhas ficaram sem pai.

E é exatamente isto que tem acontecido nas relações amorosas de hoje, salvaguardando as devidas proporções, é claro.

Pessoas que insistem na importância que dão aos seus relacionamentos, mas que não se esforçam (por preguiça ou por falta de consideração pelo outro), para tratar e aplicar as coisas que são importantes nestes relacionamentos. Inclusive, quando paro pra pensar, chego à conclusão de que essa importância é, na realidade, uma necessidade social e de status que se disfarça de importância quando convém. É uma necessidade escondida que se apresenta ao mundo com cara de importância.

Certa vez, e isso já faz muitos anos, me encontrei com uma amiga que não via há algum tempo, e ela me atualizou dizendo que tinha se separado do marido por um milhão de motivos. Mas que gostaria de reatar “porque ficar sozinha tá por fora.” (coloquei entre aspas porque são palavras da própria!)

Vejam bem: parece que a importância que damos aos relacionamentos não está associada ao valor intrínseco e verdadeiro que os relacionamentos tem em si. A importância que damos aos relacionamentos está associada à maneira como usamos estes relacionamentos para resolver nossos problemas de status, insegurança e auto-estima.

É como ter em casa uma obra de arte linda e rara, e pregá-la na parede com o propósito de disfarçar ou esconder um defeito na pintura, ou uma infiltração. A obra de arte tem seu valor próprio por ser quem ela é e pronto. Mas quando eu faço uso dela com a finalidade errada, eu a desmereço e reduzo seu valor a nada.

Um relacionamento é algo fino, raro e precioso que deve receber o tratamento do qual é digno de receber. E em muitos casos ele é tratado meramente como o quadro raro pregado na parede para esconder uma infiltração.

Não tenho a receita para o “sucesso” num relacionamento amoroso, como às vezes sinto que seja a expectativa de algumas pessoas. E mesmo se eu tivesse, não acho que esta seja a melhor maneira de ajudar… Minha ajuda é esta que vocês já conhecem: propor os pilares e fundamentos para  uma reflexão sincera, e, a partir dela, a gente aprende a pensar a própria vida e começa então a corrigir os desvios.

Seja lá como for, e respondendo à pergunta do título do post, relacionamentos tem sim muita importância! Não as partes A e B que formam o casal isoladamente, mas o relacionamento em si é um verdadeiro presente pra quem sabe aplicar as coisas que são importantes para seu aprimoramento constante 🙂

Por isso, cuide do seu. Aprecie. Valorize.

Conversa aleatória, mais uma semana!

Ei, pessoal! Espero que estejam bem e cheios de disposição pra começarem esta semana 🙂

Não sei vocês, mas eu tenho observado (até com um certo temor) que o tempo tem passado muito mais rápido do que usualmente… Acho que é a síndrome do “estou-chegando-nos-30”, somado a um grande desejo de que Jesus retorne logo.

Na semana passada, tive jornadas intensas de trabalho de 12/13 horas por dia, sentada em frente o computador até o bumbum ficar quadrado e com câimbra! Treinei todos os dias, diligentemente, e ainda incluí um treino light de cardio e alongamentos no domingo, pra contrabalancear as longas e ininterruptas horas que passo sentada e imóvel, exercitando somente os dedos no teclado e a massa cinzenta.

Há pouco tempo, quando passava praticamente o dia todo trabalhando sem muitas pausas, eu entendia que meu dia já havia me rendido o suficiente, e que tudo o que eu precisava era tomar um banho e pular na cama. Tinha aquela sensação de “eu-já-dei-tudo-de-mim”, e me via no direito legítimo de ser perdoada por não ter tido comunhão com Deus naquele dia, lido um livro, dado atenção e carinho para meu marido, ou feito uma rotina de treino, fosse ela curtinha, de 12 minutos apenas!

Quem cuida do espírito, das relações, do intelecto e do corpo, vive melhor e mais feliz.

Este cuidado se traduz em investimentos reais de tempo e energia, em áreas basilares, não em coisas periféricas que não impactam a qualidade de vida, e só geram desperdício. [Investir no que é importante, essa é a chave.]

Não é o tempo que tem passado mais rápido. É o nosso jeito de investí-lo que nos dá esta sensação de dias abreviados… O dia continua com suas 24 horas de sempre, nem mais nem menos… mas por não sabermos definir com firmeza as prioridades de nossas vidas, a percepção que fica é que realmente não nos sobra tempo ou energia para termos comunhão com Deus, ou pra ler um livro, dar atenção e carinho para o marido, ou fazer uma rotina de treino, seja ela curtinha, de 12 minutos apenas!

Todo mundo quer o retorno, mas poucas pessoas querem investir. Ou quando investem, demandam resultados imediatos.

O desafio é estabelecer nossas prioridades e investir nelas com o melhor do nosso tempo e energia. As outras coisas podem ficar pra depois, porque não acrescentam e tomam o lugar de outras coisas mais importantes.

Sei que ninguém é perfeito, e Deus sabe disso melhor do que toda a humanidade junta. Mas eu tenho certeza que Ele dá muita graça pra quem busca com sinceridade um caminho reto e produtivo em Seu Reino… Se colocamos nosso coração nas coisas que agradam a Deus, Ele nos apóia com estratégias e manobras, com ânimo e disposição.

Vamos tentar este desafio? A semana começou agora, e sempre dá tempo de rever uma postura aqui, outra ali 🙂

Aos poucos, mas com firmeza, a gente chega lá!! Um grande beijo e até breve! =**

Livros que terminei de ler! O Caçador de Pipas, Khaled Hosseini

Eu não sou exatamente aquele tipo de leitor compulsivo que *emenda* um livro no outro. Aliás, eu tenho um pouco de dificuldade de me desprender do livro anterior pra me aventurar numa próxima leitura… É como se eu tivesse comido uma comida muito gostosa e não quisesse escovar os dentes pro gostinho dela não sair da minha boca 😀

Também não gosto de ler livros que acabaram de ser lançados e que estão na ponta da língua de 90% da população mundial.rsss

Fico com aquele medo de que talvez a crítica ou a opinião dos outros possam influenciar de alguma maneira a minha experiência particular com aquela obra… Daí eu espero algum tempo, até que a pauta do livro comece a cair em esquecimento, ou até que ela seja substituída por outra pauta *do momento*.

download

Foi exatamente assim que aconteceu com o livro The Kite Runner (O caçador de Pipas), do autor Khaled Hosseini, publicado em 2003. (sinopse aqui) Dentro do ônibus, na escola, na empresa onde eu trabalhava, na casa das amigas… Pra onde eu ia ou olhava, tinha alguém com este livro nas mãos! Também, né… estamos falando de 8 milhões de cópias vendidas no mundo, sendo 1 milhão delas vendidas só no Brasil 🙂

O que dizer?? Esperei quase 10 anos pra engatar um compromisso sério com este livro… Assim como o Crime e Castigo que já contei pra vocês aqui, o The Kite Runner também era mais um livro na estante que de vez em quando eu lia uma ou duas páginas e nunca que seguia com a leitura.

Quando terminei de ler, fiquei com um rancor de mim mesma por não ter lido antes… Não acreditava que o Amir e o Hassan estiveram durante anos ali na minha estante sem eu nem dar bola! Eu até já tinha visto o filme, mas GRAÇAS A DEUS eu não me lembrava de muita coisa, porque depois de concluir a leitura, eu revi o filme e tive a certeza de que ele simplesmente e-s-t-r-a-g-o-u  a história e a essência do livro. (enfim, papo pra daqui a pouco!!)

download (1)Posso dizer sem medo de ser injusta com os outros livros que já li na minha vida: eu nunca me envolvi tanto numa narrativa a ponto de só pensar nela durante o dia e sonhar com seus acontecimentos de noite; como me envolvi com a história deste livro! Quando a narrativa passava pela truculência e covardia do regime Talibã, minha testa franzia, meu coração acelerava de revolta! Mas quando ela passava pela inocência e alegria da infância do Amir Hassan, eu já ficava sorrindo sozinha, me imaginando criança também no meio dos dois…

A riqueza do livro é linda… Vários elementos influenciam o desenvolvimento da narrativa. Os elementos históricos da época em que se passam os acontecimentos, os elementos psicológicos que sugestionam as decisões dos personagens, e, em muitos momentos, os elementos sociais que definem as relações entre eles… Tudo é muito rico!!

Sem essa riqueza, seria quase impossível não agir com dureza e severidade no julgamento dos personagens. É somente através desta riqueza de elementos e detalhes, que conseguimos enxergar os fatos com mais compaixão e empatia de quem pensa: poderia ser qualquer um de nós no lugar de qualquer um deles.

Foi inclusive graças a ela que consegui finalmente perdoarAmir… Mas não foi fácil pra mim. Tinha vontade de estapear a cara dele por sua omissão e deslealdade com seu amigo Hassan. Exclusivamente pensando em si, e em se livrar da evidência que provava sua covardia, ele cria diversas situações (de caso pensado!!!) que mais tarde resultam numa vida cheia de traumas e desgraças para o Hassan e sua família.

Mas ele tenta se redimir, e o autor nos conduz lindamente por todo este processo, que aliás se arrasta por muitos anos! É um drama muito forte e intenso que eu nem vou tentar descrever, porque eu sempre acabo contando o final e estragando tudo! rsss

Quanto ao filme, já te digo: se você AMOU o livro, não assista. Ele não honra a particularidade de cada personagem, e não tem nem 0,00000001% da profundidade do livro. Além de parecer uma colcha de retalhos, como se os fatos não estivessem interligados, o filme não consegue expor o interior, a alma dos personagens, que é o que move a história… ou seja, não presta. (minha opinião)

the-kite-runner

(Pode até ser que ele sozinho, como uma obra isolada que não tenha nenhum compromisso com o livro, seja um filme bonzinho pra se assistir… inclusive a pontuação dele no Imdb é até boa, 7.6/10… Mas é como eu disse, pra quem amou o livro, é melhor não assistir…)

Se você está buscando um livro pra prender sua atenção e te emocionar (sim, eu chorei muito!), este é o livro… Por minha conta e risco, vai ser uma das melhores leituras da sua vida! 😉

Agora, se você já leu O Caçador de Pipas, me conte nos comentários o que achou e suas partes favoritas!!

A gente se encontra lá! Bjkas!

P.S, Amanhã vou contar o que achei do livro To Kill a Mockinbird (O sol é para todos) que terminei de ler esta semana!

Vocês viram? YÜ produz bolsa para Rede Feminina de Combate ao Câncer de Santa Catarina!

Ei, gente!!

Vocês se lembram da YÜ, aquela marca de Santa Catarina que faz bolsas lindas e chiques, e que já promoveu dois sorteios aqui no blog??

Então! Recentemente, ela se envolveu num projeto super legal com a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Santa Catarina, que agora conta com um modelo de bolsa exclusivo, idealizado e produzido pela YÜ, na cor pink e com esta alça super charmosa no formato do símbolo da RFCC!

1278477_494723563952871_2020087736_n

Como mulher ama moda e, claro, bolsas, a ideia surgiu por parte das integrantes da RFCC de Santa Catarina como uma alternativa para incrementar a receita e, assim, ampliar os serviços prestados as mulheres catarinenses. O projeto apareceu no momento certo, já que estávamos alinhando as possíveis formas de iniciarmos ações de responsabilidade social. Desta forma, podemos contribuir com ações tão importantes e necessárias realizadas pela Rede Feminina de Combate ao Câncer de Santa Catarina. Sem contar que o produto tem um designer bem diferenciado e esperamos que se torne tendência entre a mulher brasileira. Ou seja, que a bolsa simbolize a todo o momento que é fundamental cuidar da saúde, explica a estilista e proprietária da YÜ, Suziani Zunino.

Interessante, não? Achei o conceito do projeto bastante admirável, e o design da bolsa a coisa mais linda e graciosa!

Quem tiver interesse em adquirir a bolsa, é só ligar para a RFCC de Itapema, no telefone (47) 3368-4833, ou acessar a loja online da YÜ  www.useyu.com.br.

Toda a renda arrecadada com a venda dessas bolsas é revertida para a RFCC 😉

Parabéns a YÜ e RFCC pela iniciativa, e sucesso com o projeto!

Bjkas!!! =**

NOVO VÍDEO: Upgrade de Imagem – Dinheiro [versus] Padrão de Vida

Ei, gente!!

Nem acredito que estou conseguindo postar um vídeo de Upgrade de Imagem que vocês tanto gostam!! Vários outros temas estavam em pauta, mas quis agradar vocês com um bate-papo que eu espero que contribua, de alguma forma, para a vida de quem assistir 🙂

Na próxima semana, estarei fora visitando minha irmã e meu afilhadinho gostoso, e por isso vou soltar dois vídeos de uma vez (o de hoje, e um amanhã sobre Fitness!), além de um post de meditação bíblica no sábado… Dessa forma, acredito que vocês terão um bom material para degustarem até o meu retorno, na semana do dia 9, né???

Nunca é demais reforçar que os vídeos de bate-papo expressam apenas minha opinião a respeito de determinado tema, e não é minha intenção querer impor meu ponto de vista a ninguém, ou ofender quem por ventura “viva” diferente da maneira como eu “vivo” a minha vida.

No mais, espero que seja uma conversa produtiva 😉

Um grande beijo e até amanhã com mais vídeo!!! ***

NOVO VÍDEO: Voltei!! Bem-vindas de volta!

Olá, minhas queridas!! Cheguei!!

As saudades foram imensas! ❤

Ainda estou me organizando por aqui, e preciso urgente colocar os comentários e e-mails do blog em dia! Aos poucos vou vencendo estas pendências e muito em breve tudo voltará ao normal 🙂

O vídeo é curtinho e foi gravado agora há pouco, enquanto me aprontava pra receber a visita da minha mãe! Nos próximos dias, a gente vai se falando com mais tempo e riqueza de detalhes! Me aguardem!!!!

Um grande beijo e até já!!! =***