Mas se eu não tenho testemunho, o que tenho a oferecer?

Atualmente, eu me encontro numa fase “mental” muito engraçada, que funciona mais ou menos assim: todas as experiências que vivo no meu dia-a-dia – das mais simples às mais inusitadas –  eu acabo transformando num cenário fantasioso, em que  estamos eu e uma criança conversando e interpretando os detalhes das tais experiências em questão . (podem rir.rssss)

Acredito que com a gravidez quase que simultânea da minha irmã e da irmã do meu marido (ou seja, minha irmã também!!), estes assuntos relacionados a filhos e maternidade acabaram habitando meus pensamentos de uma maneira muito categórica e até um pouco cômica e divertida, já que às vezes minha imaginação beira o ridículo 😀 #FantásticoMundoDeBob

messy-house-620x349

Se estou em casa e preparo uma refeição bem gostosa e nutritiva, não precisa muito tempo pra eu logo começar a imaginar meus sobrinhos (e eventualmente meus próprios filhos), ali à mesa, felizes, se deliciando com o banquete e dizendo: Que delícia, tia! Quero mais! ou “Que delícia, mãe! Quero mais!” Me dá uma sensação linda, só de pensar!

Mas ao mesmo tempo, neste cenário fantasioso que vivo criando, também existem crianças que não querem comer. Que vão chorar e espernear a cada refeição, testando meus limites e minha paciência. Daí minha cena congela, e congelada ela fica até que eu crie uma postura e um discurso plausíveis pra essa tia/mãe, que poderá adotar:

1) a linha da correção e disciplina sem muito mimimimi (que pode ser bastante eficaz de imediato, porém pouco sustentável a longo prazo); 2) a linha da educação e instrução que naturalmente demanda mais tempo, paciência e energia, mas que produz frutos muito mais estáveis e duradouros, a  saber:  “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.” Provérbios 22-6

San father teaching son traditional hunting techniques

Entretanto, para adotar a linha de número 2, da educação e instrução, essa tia/mãe não pode se ater a simplesmente jogar palavras ao vento, ou a repetir uns dez jargões infantis, na esperança de que, em se tratando de uma criança, isso apenas baste.

Para ser claro e plausível, tem que ser de verdade. Porque nada convence mais do que a verdade e o testemunho…

Se no meu prato eu tenho verduras, legumes e toda uma variedade de nutrientes; e se eu me alimento assim todos os dias na presença dessas crianças (sejam meus filhos ou meus sobrinhos), eu então não terei muita dificuldade em elaborar minha postura e discurso diante de qualquer impasse relacionado à alimentação daquela casa.

Mas se meu prato está cheio de bobagens, e eu então tento criar um discurso mentiroso baseado em preceitos que li num livro, e não na verdade do que vivo de fato em meu dia-a-dia; logo, não passarei de mais uma hipócrita na sociedade, que quer ensinar pra todo mundo aquilo que não sabe nem pra si mesma.

article-1066066-00646F6D00000258-113_468x307

Não se trata de uma reflexão sobre a maneira correta de se criar filhos (até por que nem mãe eu sou, e seria muita pretensão da minha parte querer ensinar qualquer coisa neste sentido). Trata-se de uma reflexão de postura pessoal e estilo de vida.

Essas crianças que vejo em minhas encenações fantasiosas, podem representar almas carentes e perdidas que tem fome e sede, mas rejeitam o bom alimento por hábito, esporte ou por simplesmente não saberem avaliar o que de fato é bom para suas vidas.

E quando elas se achegam, nós, que às vezes temos muito ansiedade e até boas intenções em querer sair fazendo tudo por todo mundo, não temos o mais importante a oferecer que é o testemunho e o brilho de Jesus em nós, que produzem o discurso e atitude coerentes.

A gente acaba adotando a linha 1 com nossos irmãos, da correção e disciplina, porque às vezes não temos testemunho e obras suficientes para adotarmos a linha 2, da educação e instrução…

jesus__disciples_pp

Para a multidão, Jesus (nosso Senhor e Rei que vive eternamente!), reservou as parábolas e muitos milagres. Mas para seus 12 discípulos, Ele reservou sua vida, sua intimidade, e a verdade do que Ele pregava. Porque os discípulos andavam e viviam com Jesus, e conheciam de perto Seus hábitos, Seus comportamentos, Suas decisões… Puderam constatar com os próprios olhos que aquela vida não era um teatro ensaiado, e que, pra quem quisesse, bastava tão somente ver e copiar.

É tão simples que chega a beirar a loucura, eu sei! Mas eu quero ser assim, simples como Jesus, sabe… Quero buscá-Lo e endossá-Lo cada vez mais como o Senhor da minha vida, pra que agindo Ele em mim, eu possa então agir conforme Sua vontade na vida dos outros. Porque pra ser de verdade tem que ser assim!

Pra ser de verdade, tem que ser na dependência e direção do Espírito, sem discurso ensaiado, sem inventar muita moda 😉

 

Anúncios

17 pensamentos sobre “Mas se eu não tenho testemunho, o que tenho a oferecer?

  1. Querida Diana,

    Pelos seus vídeos e artigos já se percebe que você se fez um instrumento de Deus: a criatura que louva ao Criador… como um pássaro que oferece ao Senhor o canto que Ele lhe ensinou…

    Obrigada por ser tão simples e humilde… Você possui a beleza completa: espiritual, emocional e intelectual, que se externaliza em sua face e na maneira como nos transmite os dons que Deus lhe deu.

    Também quero agir na vida do meu próximo, dando um testemunho verdadeiro, o que realmente somente através Dele conseguimos.

    Espero que cada vez mais pessoas se conscientizem disso…essa é a verdadeira felicidade…

    Deus te abençoe,

    Clarice.

  2. Diana, amo ler seus textos. Você é uma mulher muito inteligente e passa uma mensagem positiva para todos nós. Te mandei um email com o título “DIANA, ME AJUDA”. Gostaria muito que você me respondesse. Bjs.

  3. Oi Diana!

    Me chamo Sarana,atualmente moro no Japão,há algum tempo tenho acompanhado seus vídeos(que são ótimos,dinâmicos e muito divertidos)

    Achei essa mensagem muito linda.Eu tenho 23 anos,tenho 2 filhos,um de 7 e outro de 4 meses.Fui mãe muito nova e não tinha nenhuma instrução,eu era um problema. rs

    Mas,graças à Deus,eu conheci ao Senhor Jesus e,não tem nada melhor e nem mais lindo do que conhecer Ele!

    E então eu percebi que não soube educar meu filho mais velho.Mas tenho buscado no Senhor a sabedoria para criá-los e ensiná-los a andar no caminho do Senhor.

    E o Senhor tem falado em meu coração sobre ser um testemunho vivo e,nessa mensagem que você deixou falou tudo.

    Não adianta fala um monte para a criança se em casa ela não tem o exemplo,porque o que realmente conta é o exemplo.

    Eu quero ser um testemunho vivo para meus filhos,familiares e todos os que estão ao meu redor.

    Que Deus abençoe você e sua família grandemente Diana,que Ele te use ainda muito mais!

    A paz do Senhor!

    • Olá, Sarana! Adorei ler cada palavra do seu comentário! E nem acredito que meu conteúdo te alcançou do outro lado do mundo! 😀 😀 Adorei!!

      Obrigada pelo seu carinho, e que Deus abençoe você e sua família também! Um grande beijo pra você!!! =***

  4. Em nossa vida neste mundo, precisamos sempre estár sim, preocupados com nosso testemunho: seja em casa ou fora dela!!Quando minha filha( de 7 anos) faz algo que não gosto ou que não acho legal, e ela me fala ( ah! mamãe, mas ninguém viu!!) sempre falo: Mas JESUS está vendo!!!!Por isso precisamos sempre andar no caminho certo e fazer somente o que a palavra de DEUS nos ensina!!!! Assim, seremos testemunho vivo daquilo que DEUS nos ensinou!!!!! Que JESUS te abençõe!!!!!!

    • Falou tudo, Maria! Se a nossa motivação for esta, de fazer para agradar aos olhos de Jesus, nossa vida e testemunho serão bem diferentes 😉

      Deus te abençoe também e um grande beijo pra você!!! =***

  5. Olá Diana! Conheci seu site através de pesquisa no google procurando “unhas” e adorei! Amei tbm o seu texto! Simples, objetivo e o mais importante.. a gente sente seu amor no criador, naquele q é o maior tesouro de nossas vidas. Sem Ele nada somos!
    Ah! E tenho certeza q vc será uma ótima mamãe qdo chegar a hora, pois já tem vontade de acertar, e terá muitos testemunhos para dar.
    Tenho um filho lindo (mamãe babona) de 9 anos, o Gabriel e ser mãe foi o maior e melhor presente que já recebi de Deus.
    Já coloquei sua página nos favoritos e virei sua fã.
    Que Deus te abençoe muito. Bjssss

  6. Ai Diana, que saudade de ler seus posts! Me fazem tão bem sabia?
    Suas palavras como sempre muito sábias, nos levam a perceber as coisas de outra maneira. Sempre saio daqui muito feliz com o que li e com certeza levando sempre algo de bom junto comigo!
    Beijãooo

Deixe um recadinho =)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s